Notícias

0

DISCURSO PROFERIDO PELO DIRETOR-PRESIDENTE DO SOJEP NO DIA DA MOBILIZAÇÃOA TODAS E TODOS OS SERVIDORES:

As perspectivas sobre a remuneração do servidor da Justiça, prevista no PCCV, que ser? apresentado em alguns dias pelo Tribunal de Justiça, não são nada animadoras. Em algumas visitas ? Comissão respons?vel pela elaboração do plano, pudemos colher algumas poucas informações que nos levaram, infelizmente, a chegar a esta conclus?o.
Diferentemente da Justiça Federal, que está implantando o plano de cargos e vencimentos, parceladamente, e que promoveu ampla discussão com as entidades representativas dos serventu?rios federais. Entretanto, s? agora conseguimos e esperamos de fato e real a participação em sua discussão. Por?m, precisamos estamos alertas e vigilantes nesta elaboração, um dos principais motivos ? a definição dos valores dos vencimentos, pois, levando-se em consideração apenas o orçamento de 2007 que sabemos ser insuficiente para promover um reajuste capaz de corrigir as perdas acumuladas nos ?ltimos dez anos.
Esperamos que a atual presid?ncia do TJ reveja a delicada situação por que passa o servidor do Judiciário estadual. Pois, os exemplos das gestões anteriores, não são animadores. Todos usaram e proveram as finan?as do Judiciário paraibano em benef?cio da magistratura. Embora, concordamos em parte. Todavia, os servidores permanecem exclu?dos ano ap?s ano.
Não devemos mais acreditar em apenas promessas, como ocorreu em anos anteriores, quando fomos seguidamente enganados pelo TJ, nas gestões dos Presidentes Marcos Souto Maior (mandou para Assembléia Legislativa um p?fio PCCS, inclusive sem assinar?), Pl?nio Fontes (que assinou o p?fio PCCS, ap?s 20 dias de greve e muito barulho), J?lio Aur?lio e João Antonio de Moura, tendo o primeiro assumido o compromisso de recompor os vencimentos da categoria, que não foi honrado pelo segundo, resultando na deflagração da ?ltima greve de servidores. Mais recentemente, fomos tamb?m ?enrolados? pela aparente cordialidade do Des. Julio Paulo Neto que prometeu discutir e implantar um PCCV e terminou o seu mandato sem conceder nada aos serventu?rios.
Quanto ? atual gestão, ainda esperamos um posicionamento diferente das anteriores. Por?m, somos desejosos de uma discussão l?mpida e urgente sobre o PCCV, com clareza de detalhes. Ressalte-se, a lembran?a dos mais antigos funcion?rios, do Des. Josias Pereira do Nascimento, ?nico Presidente do TJPB que lembrou que o alicerce da nossa casa ? feito de servidores.
Com efeito, n?s servidores e entidades temos que mobilizamos nossas for?as no sentido de exigirmos um PCCV decente, que de fato, contemple as dores dos servidores, massacrados e ? deriva.
Sendo assim, conclamamos todas as entidades representativas dos servidores do Judiciário e seus filiados para participarem desta ampla mobilização, hoje, nosso objetivo ? demonstrar e alertar ao TJ, a insatisfação crescente da categoria pelo desconhecimento do PCCV, cuja elaboração, da forma como vem sendo conduzida, não tranq?iliza a categoria. Ao contr?rio, nasce a descren?a e a revolta.

Comentários ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *