Notícias

0

Servidores do Judiciário desaprovam minuta do PCCR e decidem manter mobilizações na PBIndignação e desrespeito são as palavras que traduzem fielmente a minuta do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), segundo os servidores da Justiça. A minuta foi apresentada pelo Tribunal de Justiça ?no calão da noite?, atrav?s do site do ?rg?o. O presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado da Paraíba (Sojep), Benedito Fonseca, lamentou o ?ass?dio moral? contido no plano que não traz nenhum benef?cio para a categoria.

?A minuta do plano visa sugar o pouco que temos. Se aprovado, o caos e a falta de respeito serão implantados no Judiciário da Paraíba?, destacou Fonseca. Os servidores se reuniram na segunda-feira, 23, para analisar ponto a ponto da minuta e a conclusão não foi animadora. ?Est? claro que o plano ? excludente, não há possibilidade de aceitação sem que o mesmo seja revisto de forma s?ria e democr?tica?, explicou.

Os servidores destacam tamb?m que a greve ser? o ?ltimo recurso, no entanto, a posição autorit?ria do TJ não vai intimidar a categoria, que lutar? de todas as formas para ter um PCCR decente e transparente.

O presidente do Sojep faz ressalvas para a discrep?ncia salarial existente no Judiciário da Paraíba, que enfatiza o tratamento indiferente com os servidores. ?Na Paraíba são pagos um dos melhores salários do pa?s aos ju?zes, e por outro lado, ? o ?nico Estado da Federação que não possui o PCCR?, disse o presidente.

Entre os pontos da minuta do PCCR, está a proibição da progressão, a incorporação, al?m de extinguir v?rias vantagens dos servidores como o abono perman?ncia. ?Esse plano traz uma monstruosidade t?cnica absurda, está claro que quem elaborou não tem id?ia da necessidade dos servidores?, lamentou Fonseca. ?Sem contar que da equipe que participou da elaboração, apenas uma pessoa faz parte do quadro do TJ?, completou.

De agora em diante, a pluralidade de pensamentos ser? priorizada para as mobilizações dos servidores antes da votação que deve ocorrer no dia seis de agosto. ?Vamos nos reunir com as outras entidades e partir em busca do bem comum?, concluiu.

Comentários ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *