Notícias

0

A VERDADE E A FAL?CIA

A VERDADE   E A FALÁCIA 

Alardear que está com a verdade e não tê-la é uma situação que só revela conspiração e crença na ignorância do público propenso a recebê-la. A mentira pode ser mais fácil e produzir sonoridade mais agradável aos ouvidos e as almas desnutridas, mas a verdade é sempre mais FORTE porque não se constrói por ilusões e fumaça.

O TJ/PB continua com os aliados que sempre teve (SINJEP E AOJEP), mas a verdade não está em suas mãos. A verdade, única, como só ela pode ser, e sua existência inconteste, está nas mãos dos servidores, em seus corpos cansados, em suas famílias famintas…de uma boa educação para seus filhos, de uma alimentação nutritiva, de garantia de saúde para os dias de dor e agonia que sempre vêm, como condição própria de estar vivo, de continuar no páreo pela existência, de um transporte seguro, de uma moradia digna… estamos falando tão somente de DIGNIDADE.

É esta a VERDADE ! É ISTO QUE ESTÁ NOS SENDO NEGADO.A verdade não está em categorias, em representantes, a verdade está sempre com o povo, pois a vontade e o poder emanam do povo, e o poder institucionalizado deve ser conduzido em função dessa vontade, sua condição precípua de existência e o SOJEP e a ASTAJ nasceram como busca única de dar atenção a essa voz, a voz dos servidores do judiciário paraibano que clamam há mais de dez anos POR DIGNIDADE e JUSTIÇA !

Quem até agora deu ouvidos a este clamor? O SOJEP e a ASTAJ são apenas conduzidos por essa leva majoritária de servidores. Nós, direção, SOJEP e  ASTAJ, não temos voz própria, não possuímos quereres, não há em nós pessoalidade, vontades. Somos a voz do servidor. A verdadeira voz do servidor. Diga-nos o servidor do judiciário paraibano algo diferente do que até agora dissemos e fizemos e repetiremos a sua voz.  

Até agora, tudo que o servidor tem reclamado, é o que tentamos alcançar, sempre com bom senso, educação e respeito, elementos basilares na menor relação – o diálogo ! – requisitos indispensáveis em reuniões institucionais, elementos estes, que parecem inexistir AO TRIO que se põe insistentemente em ignorar a existência e o direito de todos os servidores do TJ/PB, o próprio TJ/PB e o seu discurso, ao que parece, falacioso, sempre tentando conduzir os mais ingênuos a crerem que seus moldes de PCCR conduzem a panacéia “sonhada”, e o SINJEP e a AOJEP, cujos atos falam por si, dispensando quaisquer comentários, dado a vasta história de ANTIDEFESA DA CATEGORIA, que os precede.

Comentários ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *