Notícias

0

Absurdo: Oficial de Justiça de Goiás quase queimada com gasolina

Mais uma ação de ameaça à vida de colega oficial de justiça foi realizada na cidade de Goiânia/GO, no cumprimento do dever funcional. Desta vez a  vítima foi a colega Marileila Oliveira que ao tentar cumprir um mandado de desocupação de imóvel (foto do Corpo de Bombeiros no local) foi ameaçada de morte pelo morador que se recusava a desocupar o imóvel. Onde estava a proteção à colega? Ninguém sabe, ninguém viu!

A matéria abaixo foi extraída do site do jornal goiano Diário da Manhã e recomendada pelo colega Diretor da Fenajud e também Oficial de Justiça de Goiás, Kelsen Falcão. Veja.

HOMEM AMEAÇA INCENDIAR CASA

A desocupação de uma casa, construída em área pública, onde vivia Edemilson Borges Magalhães, na Chácara do Governador quase se transformou em tragédia ontem. Edemilson jogou gasolina na oficial de Justiça Marileila Oliveira, espalhou o combustível no imóvel e ameaçou atear fogo na casa, onde também estavam sua esposa, Roseny Gonsalves Santos, e o filho adolescente, Welington Santos. Muito nervoso, Edemilson disse que só sairia do imóvel morto.

A oficial Marileila conseguiu sair do imóvel. Edemilson se armou com três coquetéis molotov, gasolina e botijão de gás e ameaçou incendiar tudo. Cerca de 50 policiais militares e quatro unidades do Corpo de Bombeiros foram mobilizados. Depois de tensas negociações, que duraram das 8 até as 13 horas, o homem saiu do imóvel em companhia do promotor Maurício Nardini. Imediatamente, servidores da prefeitura começaram a remover os pertences da família.

A casa de Edemilson ocupava parte da área onde foi instalado o Parque Bougainville. Segundo o advogado da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Rodrigo Costa, Edemilson havia se comprometido a sair do lote no dia anterior. A esposa de Edemilson foi ao Residencial Senador Albino Boaventura para ver que a prefeitura conseguiu uma casa para a família. De volta ao imóvel, Roseny conversou com o esposo, que, finalmente, resolveu sair.

Uma filha de Edemilson, Edmeire Gonçalves, que não mora com ele, disse que o pai estava muito nervoso porque não concordava com a brusca retirada: "Ele levou 29 anos para construir esse imóvel. Se tivessem dado mais tempo para tirar suas coisas, ele sairia de boa."

O presidente da Amma, Clarismino Júnior, disse que os outros moradores que ocupavam a área pública já estão felizes, morando em uma residência digna: "Ele se recusou a cumprir uma ordem judicial alegando que a casa que a prefeitura oferece não é compatível com esta, mas o poder público não pode responder a interesses individuais."

A oficial disse que passou momentos de grande perigo dentro da casa de Edemilson. "Ele jogou muita gasolina em mim. Mandou o filho espalhar nas roupas e chegou a jogar o combustível na mulher. Achei que iria morrer." Marileila disse que tudo estava em aparente calma e, de repente, foi agarrada pelas costas por Edemilson.

Fonte: www.dm.com.br

 

Veja nota de solidariedade enviada pelo SOJEP:

 À Oficial de Justiça Marileila Oliveira…

…nossos sinceros votos de solidariedade diante de um fato absurdo e
violento. Um ato cruel, de tal natureza abominável por todos,
principalmente por nós, oficiais de justiça, que saímos de nossas
casas com a incerteza da volta, incerteza se voltaremos com a nossa
vida.

O que nos resta é a união, para juntos, combatermos atos como esses.
Enquanto uns, como Marileila, têm em si o espírito de bravura, outros
têm a desprezível covardia.

Mais uma vez nossa solidariedade.

SOJEP-PB

Comentários ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *