Notícias

0

CARAVANA DE SERVIDORES E ENTIDADES À BRASÍLIA FOI VITORIOSA: CNJ DÁ PRAZO DE 72 HORAS PARA O TJSP DAR EXPLICAÇÕES SOBRE A GREVE

Foi vitoriosa a ida dos servidores – mais de 600 em 18 ônibus – e das suas entidades representativas a Brasília no dia de ontem, 3 de agosto. Depois de cansativas horas de viagem, muitos demoraram 24 horas para chegar, os servidores se concentraram, às 9 da manhã, em frente à Catedral de Brasília e se dirigiram em passeata até o prédio do STF – Supremo Tribunal Federal, que também abriga o CNJ – Conselho nacional de Justiça.

 

Lá realizaram uma manifestação que se estendeu até o início da noite, quando as entidades foram cientificadas que o CNJ enviaria um Ofício ao TJSP interpelando a corte paulista sobre o não julgamento do dissídio coletivo de greve e o porque dos descontos dois dias parados, dando prazo ao TJSP de 72 horas para que enviasse a s respostas. Uma importante vitória dos servidores.

 

Esteve presente ao ato dos servidores o deputado federal Vicentinho, que já havia se pronunciado em defesa da categoria no plenário da Câmara Federal.

 

Durante o ato falou o diretor do SOJEP – Sindicato dos Oficiais de Justiça da Paraíba, Newton Leal. Lá os servidores estão em greve há 60 dias. Newton falou sobre a luta que lá se trava e emprenhou a solidariedade dos paraibanos à greve dos paulistas.

 

Também se uniram ao ato os servidores da UNB – Universidade de Brasília, em greve há 140 dias. Eles reivindicam que a URP – conquista de 20 anos – não seja retirada dos holerites, o que significa uma perda de 26,5% nos salários.

 

Num outro momento a delegação de São Paulo se encontrou com os diretores do Sinpojud, da Bahia, que estavam no STF. O diretor de comunicação do Sinpojud, Zenildo, empenhou sua solidariedade aos paulistas.

 

Logo que chegou a Brasília a delegação de São Paulo se uniu aos assistentes sociais, que lá realizavam o seu Congresso com a participação de 3 mil profissionais de todo o Brasil. Os assistentes estavam em Brasília também para acompanhar no Senado a votação e a aprovação do projeto que instituiu a jornada de trabalho de 30 horas. Agora o projeto irá à sanção presidencial. Essa vitória mostra o quão importante é a união de um categoria na luta pela conquista e ampliação de seus direitos.

 

Ao chegarem ao STF os representantes das entidades dos servidores se depararam com a presença do desembargador Samuel Alves de Melo Neto, que estava acompanhado de um juiz assessor do TJSP. Afirmaram que estavam lá tratando de assuntos diversos.

 

Hoje, 4 de agosto, às 14 horas, será realizada a Assembléia Geral dos servidores, na Assembléia Legislativa. Às 16h30 acontece na ALESP uma audiência pública que debaterá a greve e as precárias condições de trabalho dos servidores do Judiciário. 

 

Logo pela manhã a AOJESP foi recebida pelo juiz Assessor da Corregedoria Geral do CNJ, Ricardo Chimenti, que não poupou esforços para agendar uma reunião entre os servidores e o Presidente do CNJ e/ou com os Conselheiros do órgão, que acabou, apesar de seu esforço, não acontecendo. Neste encontro, Yvone expôs detalhadamente as reivindicações dos grevistas, pelo que o dr. Ricardo já estruturou a pauta reivindicatória, procurando intermediar as negociações com o TJ de São Paulo.

 

Para a Diretoria da AOJESP a mobilização tem de continuar cada vez mais forte. Algumas vitórias foram conquistadas durante a greve, como ocorreu agora na manifestação do CNJ – Conselho Nacional de Justiça. Igualmente importante é a ação dos servidores em suas Comarcas, para pressionarem os deputados de sua região para que a lei da data-base seja cumprida, bem como o art. 37, X da CF; seja aprovada a CPI do Judiciário na Alesp e ocorra a inspeção no TJ de São Paulo, aprovada pelo Conselho Nacional de Justiça em 2008 e até hoje não realizada.

 

FONTE: SITE DA AOJESP

Comentários ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *