Notícias

0

A insegurança, companheira quase sempre presente, dos Oficiais de Justiça, tem se tornado uma constante no ofício destes profissionais  que procuram desenvolver a sua função da melhor forma que podem. Notícias de agressões são frequentes, sejam aqui na Paraíba, na Bahia, em Minas Gerais ou em qualquer lugar do Brasil. Os riscos são os mesmos. Trabalhar como Oficial de Justiça se tornou  um desafio.

Na cidade de Andradina – SP 10 (dez) Oficiais de Justiça temem por suas vidas quando saem para cumprir seus mandados em alguns bairros da cidade.            Preocupado com a situação, um oficial procurou um jornal da cidade e um canal de notícia para expor a situação de risco que vive a categoria. Segundo o oficial, eles procuram realizar o trabalho durante a luz do dia, pois quando escurece ninguém quer se arriscar em ir a determinado local sem a presença da PM – Polícia Militar devido a criminalidade existente no lugar.

Situação parecida ocorreu no estado do Amazonas quando um corregedor-geral de justiça, ciente dos riscos que rodam os Oficias de Justiça, procurou apoio para a categoria junto às autoridades de segurança pública do estado.  Uma parceria foi proposta entre a polícia militar e o Poder Judiciário. A polícia se faria presente em situação de perigo para o oficial.

A escolta da polícia se faz necessária em algumas circunstâncias. São profissionais de uma categoria que lidam diariamente com o inesperado e que reivindicam direitos que são deixados de lado ou para depois sem nenhuma pressa de concretização. Enquanto todos aguardam que decisões em prol da classe dos Oficiais de Justiça sejam tomadas, a crescente insegurança se torna um adereço nos mandados judiciais e também um “porte liberado” de violência que inibe de certa forma a realização do trabalho destes profissionais.

Não se pode se fazer de desentendido e nem adiar decisões que dizem respeito ao bem estar de profissionais que colocam em risco suas vidas. É preciso um maior comprometimento dos órgãos competentes para modificar esta situação.  A violência contra Oficias de Justiça não é um fato que ocorre de forma isolada, é um problema que vem se agravando passo a passo e que precisa de soluções imediatas.

Míria Maria