Notícias

1

O ano de 2003 registrou um período de mudanças, transformações e progressos para a categoria dos oficiais de justiça. Mas precisamente no dia 13 de março daquele ano surge o SINDOJUS-PB, entidade que se comprometeria com o bem estar da classe que buscava e ainda busca melhorias para o exercício da função.
Com 10 anos de existência e firmando seus passos a cada dia, o sindicato encontrou na sua trajetória caminhos difíceis, mas que de certo modo contribuíram para o fortalecimento de atitudes que alinharam a sua direção para a aquisição de importantes modificações que valorizaram a categoria dos oficiais de justiça.
Com o objetivo de atender as necessidades da classe, o sindicato passou por várias mudanças, entre elas, as alterações de gestores. Foram transições importantes e necessárias que colocaram sempre em primeiro plano o intuito de fornecer subsídio para a categoria que se almejava por uma condição digna de trabalho.
Passando por encontros e desencontros, o SINDOJUS-PB se colocou sempre atuante e ativo nas ações voltadas para a categoria dos oficiais de justiça e preocupado também com os impasses oriundos de alguns órgãos competentes que interferiram negativamente nas reivindicações da classe.
Para Antonio da Silva, que atuou no período de 2003 como vive-presidente, a entidade surgiu no tempo certo. ”O sindicato foi criado para nos livrarmos da associação que era privada. Agarrei a ideia com unhas e dentes, pois o seu surgimento foi fundamental para a nossa liberdade. O sindicato é também um espaço democrático que contribui para o progresso, e foi pensando dessa forma que atingimos muitos objetivos.” Conclui. Segundo Antônio da Silva, o período de sua gestão foi um tanto difícil e desafiante por se tratar de um início considerado por ele turbulento por causa da divergência de ideias que são comuns a todo começo. Foi a fase das descobertas e dos ajustes.
Vivenciando as mesmas experiências e trabalhando pelos mesmos objetivos, outros gestores a exemplo de Benedito Venâncio registraram também a sua passagem no sindicato. “O ex-SOJEP, atual SINDOJUS-PB foi concebido em sua essência por uma gestão de lutas. Ele veio justamente da necessidade das lutas, na busca de uma consciência de classe. Pois, na história dos trabalhadores do judiciário, em especial os Oficiais de Justiça, as dificuldades eram gritantes, se ainda não o são. No entanto, precisava-se de um combate, de um instrumento para essas lutas. Daí a formação do sindicato com este espírito, evidente, que em tempo e lugar as adversidades são e serão muitas”. Relata.
Como toda criança, o SINDOJUS-PB engatinhou, e hoje o firmamento dos seus passos se comprova pelos resultados alcançados nestes 10 anos de existência. Foi um período constituído de perdas e ganhos, mas as perdas serviram para o aprimoramento e amadurecimento das ideias que traçaram o caminho das conquistas. O sindicato tem apenas 10 anos, mas sabe atuar como gente grande e com o pensamento fundamentado nas reais necessidades.
O Oficial de Justiça Geovan Morais também deixou marcado a sua passagem de atuação no sindicato. Ele ocupou a pasta de Diretor Jurídico e de presidente no final de 2008 até o início de 2010. Para Geovan, o SINDOJUS surgiu como um instrumento de luta para a categoria. “Nós não tínhamos uma representatividade legítima que correspondesse aos anseios dos oficiais de justiça. E, a partir da criação, nas várias gestões que passaram, o SINDOJUS desenvolveu um trabalho sólido de construção de reivindicações concretas e que, graças à nossa instituição, concretizaram-se com muito esforço. Entretanto, muita coisa ainda não nos foi contemplada, mas permanecemos convictos de que o SINDOJUS, atualmente, é o único instrumento viável de luta dos oficiais de justiça deste estado.”
O despertar dos valores faz parte das parcerias indispensáveis para o crescimento de qualquer instituição. A confiança, substância essencial, representa a solidez aos que buscam a construção de interesses. E quanto aos os pensamentos desencontrados na constituição de ideias, estes sim, dificultam o crescimento para o alcance de metas.
Para Geovan um dos maiores entraves que reflete na categoria é o não reconhecimento da importância do sindicato. “Em verdade, a maior dificuldade foi (e ainda é) tentar mostrar e provar para os oficiais de justiça não filiados que o SINDOJUS era e ainda é o único instrumento de luta que temos, verdadeiramente concreto e legítimo. Por isso, não obstante as adversidades e contratempos, precisamos todos acreditar sempre na instituição, dando nosso voto de confiança àqueles que se propõem a dirigir o sindicato, o que não é tarefa muito fácil”.
Celebrando 10 anos de luta, conquistas e parcerias, o crescimento do sindicato se constrói pela solidificação da confiança dos filiados. A credibilidade é o instrumento principal e essencial para que as adversidades sejam atenuadas. A divergência de ideias deve apenas surgir para somar forças e nunca para dividir. Seguindo a linha do raciocínio do desenvolvimento, o SINDOJUS-PB compartilha toda a atenção dos seus 10 aos de atuação com os parceiros e filiados que direta ou indiretamente ajudaram a traçar a sua história.

Comentários ( 1 )

  • erivan rodrigues says:

    Venho perante as todos os colegas oficiais de Justiça, pedir solidariedade e pesar com a família do nosso estimado colega FRED BRASILEIRO, pelo sua morte repetina, que DEUS tenha ao seu lado, um cara extremamente humano, solidario e amigo, pois convivi cerca de um ano na comarca de são mamede, com ele, mais um vez que DEUS, tenha ao seu lado. meus sentimento de gratidão. Erivan

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *