Notícias

8

Na Assembleia Geral Extraordinária marcada para as 12h30min de amanhã (18), o Sindicato dos Oficiais de Justiça da Paraíba lançará oficialmente a campanha JUSTIÇA para o Oficial de Justiça.

A campanha tem como objetivo informar e conscientizar a sociedade da absurda realidade vivenciada pelos oficiais de justiça do Poder Judiciário estadual paraibano, na qual são obrigados a arcar com os próprios salários quase que a totalidade dos custos envolvidos com o cumprimento de mandados expedidos em processos agraciados pela assistência judiciária gratuita.

É direito de todo cidadão o acesso ao Judiciário, sendo garantida a gratuidade quando não se dispõe de recursos para custear o processo. Porém, nesse caso, gratuidade do acesso ao Judiciário para os pobres na forma da Lei, o ônus deve ser suportado pelo Estado, representado no caso pelo Tribunal de Justiça da Paraíba e não pelo oficial de justiça.

O CNJ publicou em julho/2012 a Resolução 153, que determina que os Tribunais garantam o recebimento antecipado pelos oficiais de justiça dos custos do cumprimento dos mandados acima mencionados.

O SINDOJUS-PB, em agosto/2012, através do Processo Administrativo 319.167-2, requereu o cumprimento da aludida resolução, tomando como parâmetro o Regimento de Custas Judiciais e Emolumentos Extrajudiciais, a Lei 5672/1992, porém, até a presente data, o Tribunal de Justiça não se pronunciou a respeito.

Os valores pagos atualmente aos Oficiais de Justiça a título de indenização de transporte, segundo os parâmetros do Regimento de Custas, tomando-se como base a diligência com menor valor (realizada entre 2 e 5 km da sede do Fórum, considerando-se ida e volta), custeiam o cumprimento de 18 mandados.

O grande problema é que a maioria dos oficiais de justiça chega a receber o dobro disso, por dia, obrigando-o a custear o cumprimento dos mandados que excedem ao mínimo previamente pago, com seu salário, situação de absurda e inaceitável injustiça!

Assemelha-se, por exemplo, à situação na qual os policiais sejam obrigados a comprar com seus salários viaturas, armamento, munição, ou médicos de hospital público de igual forma sejam obrigados a adquirir com recursos próprios os materiais cirúrgicos ou medicamentos.

Como ação da campanha, a partir de 1º de agosto, os oficiais de justiça cumprirão apenas a quantidade de mandados da assistência judiciária gratuita que tiverem seus custos devida e antecipadamente pagos, excetuando-se os que envolverem direitos alimentares, de crianças e adolescentes, de idosos, processos de réu preso, bem como em que haja possibilidade de perecimento de direito, desde que devidamente informadas a respectiva situação emergenciais no texto do mandado.

A medida visa não trazer prejuízos à parte da população que se utiliza da assistência judiciária gratuita. Porém, tais mandados, cumpridos com recursos pessoais dos oficiais de justiça, serão, oportunamente, objeto de ação de cobrança.

Os demais mandados que não envolvam os casos acima mencionados, serão devolvidos tendo em vista o não custeio prévio, como determinam a Res. 153/CNJ, o art. 19 do CPC bem como toda e qualquer regra de bom senso.

É de suma importância salientar que a campanha JUSTIÇA para o Oficial de Justiça não se trata de campanha de aumento salarial, mesmo considerando que o salário pago pelo TJPB para o cargo é um dos menores da Federação.

O que se busca é que o salário não seja mais destinado a pagar contas que são do Tribunal de Justiça, e não do oficial de justiça.

O SINDOJUS-PB informa à sociedade paraibana, bem como à Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, que mantém de forma perene a disposição para busca através do diálogo e do esforço conjunto, de soluções para os problemas que envolvem a categoria.

Comentários ( 8 )

  • Diretoria de Imprensa
    Fernando Alberto da Silva says:

    Parabéns a Direção do SINDOJUSPB pela iniciativa. Vamos com esta atitude, não apenas buscar direitos, mas, sim, resgatar a dignidade e a moral da nossa classe.

  • Diretoria de Imprensa
    Saulo Amaral says:

    Parabéns o SINDOJUSPB, através do seu diretor Clévines, pela brilhante iniciativa.

  • Diretoria de Imprensa
    Saulo Amaral says:

    Parabéns ao SINDOJUSPB, na pessoa do diretor Clevines, pela brilhante iniciativa, estou pronto para começar a batalha do dia 1 de agosto. Avante!

  • Diretoria de Imprensa
    Luis Carlos says:

    Brilhante ideia, esclarecendo a população em geral que não somos milionarios, e sim faz tudo com os proprios recursos (salarios).

  • Diretoria de Imprensa
    Rildo Gomes Carvalho - Comarca de Santa Rita says:

    Parabéns ao SINDOJUSPB pela iniciativa. Não podemos aguardar em berço esplêndido a inércia do TJPB. Como exposto no artigo, há um ano que esperamos uma atitude acerca do cumprimento da Res. 153 do CNJ e a resposta tem sido o silêncio. Conclamo todos os oficiais de justiça para abraçarem a campanha e agir segundo a orientação de nossa entidade. Sem atitude e união nada conquistaremos. SINDICATO FORTE É SINDICATO DE LUTA!

  • Diretoria de Imprensa
    josé rubis says:

    cadê o modelo da certidão que ficou acertada ontem na assembléia?

  • Diretoria de Imprensa
    ednaildo saraiva says:

    O bolo do que o tribunal pode pagar com pessoal fica concentrado nas mãos de poucos, se não houve luta e conciência só vai para os servidores menores as “merrecas”, ficando para os “maiorais” tudo. A justiça pra ser justa começa de casa.parabens ao nosso sindicado-Ednaildo

  • Diretoria de Imprensa
    Joel Honorino Nunes says:

    Parabéns aos colegas Oficiais da Paraiba.

    Nós, aqui em Santa Catarina, estamos há quase 01 (um) ano tentando convencer ao TJSC, a dar cumprimento a Resolução do CNJ. Acho que precisamos mobilizar a FOJEBRA, haja vista que a questão atinge a todos os Estados da Federação.

    Por favor, precisamos conversar mais profundamente sobre a questão.

    Sou o 1° Secretário do SINDOJUS-SC. Gostaria de trocar maiores informações com todos vocês.

    Atenciosamente,

    Joel Honorino Nunes
    ([email protected]) F. (48) 9678-5297

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *