Notícias

0

União com entidades de classe fortalece campanha para a conscientização da participação dos servidores do Poder Judiciário estadual a responderem o censo promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A reunião que definiu o Dia D da campanha ocorreu nesta quarta-feira (18), entre a Comissão responsável pelo acompanhamento na Paraíba e os presidentes dos Sindojus, Fenajud, Assatje, Astaj e Aojep.

O Censo Nacional do Judiciário começou no dia 26 de agosto e deverá prosseguir até 11 de outubro.

O objetivo é que, junto com as entidades, diretores dos Fóruns e demais magistrados, nesta segunda-feira (23), convoquem os servidores a uma pausa de cinco minutos para responderem ao questionário disponibilizado em banner no Portal do Tribunal de Justiça da Paraíba.

O presidente da Comissão, juiz Onaldo Queiroga, informou que apenas 27,67% dos servidores responderam ao questionário. Para ele é preciso contribuir para o diagnóstico, além de ser uma “oportunidade do servidor demonstrar o grau de satisfação com o Judiciário”, acrescentou.

Também membro da Comissão, o diretor de Tecnologia da Informação do TJPB, Ney Robson, explicou que a exigência do CPF é para evitar que um servidor responda o questionário mais de uma vez. A equipe de Tecnologia do CNJ garantiu a preservação e sigilo da identidade.

O Censo Nacional do Poder Judiciário pretende levantar, sistematizar e analisar as informações pessoais e funcionais dos servidores efetivos, comissionados e requisitados, através de um questionário, que servirá como fonte de dados para a avaliação das políticas de recursos humanos já existentes e para a implementação de novas ações.

A comissão do Censo do Poder Judiciário estadual tem ainda como integrantes o diretor Einstein Roosevelt Leite e o servidor Genésio Sousa. Estiveram presentes na reunião Ivonaldo (Astaj), Amaraílio Leite (Asstje), Roberto Bastos (Aojep), João Ramalho (Fenajud) e Clévenis Maranhão (Sindojus).

Gecom – Gabriella Guedes