Notícias

0

Oficiais de Justiça, técnicos, auxiliares e analistas judiciários de todo o estado, paralisarão suas atividades na próxima quarta-feira, em protesto contra o desastroso impacto financeiro provocado pelo auxílio moradia à magistratura, comprometedor, inclusive, da revida reposição salarial aos servidores na data base que se avizinha, com base na inflação anual.

Além das perdas acumuladas nos últimos dois anos, o percentual inicialmente cogitado pela presidência do TJ, de 8% despencou para a metade, após o pagamento do referido “benefício”, retroativo a setembro.

Manifestação pública                    

A paralisação será acompanhada de manifestação pública, sobretudo em frente ao TJ, cujo Pleno, nesta data, deverá eleger seu novo presidente. Na ocasião, dirigentes do Sindojus e Astaj lhe entregarão uma pauta de reivindicações funcionais e remuneratórias da categoria, muitas delas, não atendidas na atual gestão.

As iniciativas foram aprovadas à unanimidade, durante assembleia conjunta realizada pelas entidades esta semana, que inclui ainda a  veiculação de material publicitário nas TVs Cabo Branco e Paraíba.

A veiculação dos comerciais se deu através de ordem estabelecida dentro da programação das emissoras, relativas aos programas (JPB 1 e 2  – tarde e noite), Jornal Hoje (tarde) e novela das 20 h, .

Restou também definido que tão logo seja publicado o acórdão sobre recente decisão do STF, a Astaj ingressará com processo administrativo junto ao CNJ, com o objetivo de determinar ao TJ que efetue o pagamento da sétima hora trabalhada.