Notícias

0

O presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Estado da Paraíba (Sindojus-PB), Benedito Fonseca, juntamente com outros sindicalistas comandou, na última semana, a primeira reunião entre a diretoria do Sindicato e delegados da categoria. Na pauta principal, o descontentamento do Sindojus-PB com o pouco caso da presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) para com os servidores.

Na ocasião, também foram lembrados os inúmeros benefícios recebidos pelos magistrados, inclusive, a remuneração inicial que, na Paraíba, é de R$ 26.125,16, superando até mesmo a de um juiz federal que segundo Edital lançado para Concurso Público pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, alcança o valor de R$ 23.997,19.

Os representantes da categoria, dentre outras discussões, apresentaram pleitos em relação a parceria com a Associação dos Técnicos, Auxiliares e Analistas Judiciários do Estado da Paraíba (Astaj-PB);  elaboração de um cronograma de visitas à comarcas; e, a criação de um jornal trimestral com informes do Sindicato.

Ainda sobre a postura do TJPB em relação aos servidores, foi argumentado que a Casa tem dificultado as progressões por exigirem a observação de interstício completo em efetivo exercício para ser deferido o pedido de progressão, descontando do cálculo qualquer afastamento. De acordo com a opinião de alguns presentes, diante de tal situação, se faz necessária a realização de um trabalho de base para unir cada vez mais a categoria na luta pela conquista dos direitos.

O presidente Benedito Fonseca, ao expor o ponto de pauta referente a compra da sede, opinou para que o espaço tenha utilização apenas administrativa de modo que, em eventuais necessidades dos oficiais de Justiça do interior, o Sindicato custeie hospedagem em hotel conveniado.

Em relação, ao encontro do Sindojus-AL, o presidente informou que está aberto o prazo para encaminhamento de intenção de participar do evento e que a secretaria da entidade deve ser acionada pelos interessados no evento.