Notícias

0

Na história já se produziram muitas batalhas. Algumas são de alcance perpétuo no sentido de que exigiram esforços sobrenaturais de alguns. Assim, mais uma vez chegamos ao mesmo quadro. O Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba reage negativamente na medida em que retira suas responsabilidades sobre a valorização dos servidores. As poderosas estruturas de poder encastelados, seja através da mídia oficial, seja na arrogância em querer profetizar que desconhecemos nossa realidade. Afinal, os números poderosos desmentem o que é inaceitável para certa parcela do Tribunal de Justiça. Assim, permanecemos estagnados. Na velha disputa do “NÃO” temos “NADA” a oferecer, na desmedida ideia de que há uma crise geral, ampla e irrestrita! O que desmentem os corajosos números reais do poder judiciário local.

Somos levados a crer no sentido amplo que temos na frente uma morte gradual, letal e definitiva nas raízes de privilégios de outros. É nesse sentido que convocamos os SERVIDORES DO JUDICIÁRIO, em especial aos OFICIAIS DE JUSTIÇA a fazer uma reflexão, pois nos encontramos no exato momento de uma resposta efetiva e geral, que é a GREVE. Nesse momento não podemos dispensar este valoroso instrumento de luta. E com o sentimento de sobrevivência da categoria em mostrar a nossa insatisfação, o nosso decantado grito de revolta, que ecoa em nossas gargantas e nos nossos “mundos virtuais”, onde nossa rebeldia é forte, emergente e inadiável.

Vamos em frente! O monstro é poderoso, é real, é tão vivo, porém, temos nossa força de união, nosso conjunto nos torna mais forte. SOMOS UMA PARCELA EXPRESSIVA de homens e mulheres que no acalanto de nossas vidas não podemos abdicar da justeza de ideais e de cobrarmos a nossa valorização. Afinal, fizemos de tudo para evitá-la como prejuízo para a sociedade (essa sociedade marginalizada que em muito desconhece seu papel ou ao contrário, se omite no perigoso jogo de verdades e mentiras oficiais).

Assim, a gestão do TJ lança mais uma vez a política do pior cenário, quando ele próprio propicia um considerável aumento dos CARGOS COMISSIONADOS e, SEM FALAR DE OUTRAS PAUTAS BOMBAS que dizem por aí, ou seja, é incoerente falar quando os números dizem ao contrário.

Contestamos essa ideia de que a PARAÍBA é um ESTADO POBRE, um ESTADO MISERÁVEL, pois, quando se quer, abre-se uma JANELA! Quando se quer? Abre-se uma PORTA! Quando se quer? Abre-se uma BOA VONTADE! Quando se quer? Abre-se uma SOLUÇÃO! E do nosso lado, diga-se de passagem, JÁ FIZEMOS TUDO ISSO. Contudo, quando se deseja fazer, se faz! Tem-se JANELAS, PORTAS, BOAS VONTADE E SOLUÇÕES PARA TUDO. INFELIZMENTE, MENOS PARA OS SERVIDORES, parcela significativa de trabalhadoras e trabalhadores que carregam o JUDICIÁRIO.

PORTANTO, O SINDOJUS-PB, no estado de vigilância e permanente luta, CONVOCA os OFICIAIS DE JUSTIÇA para participarem da GREVE e que COMPAREÇAM AOS NOSSOS MOVIMENTOS NOS FÓRUNS para EFETIVAMENTE CRUZARMOS OS BRAÇOS CONTRA ESTA SITUAÇÃO. PRECISAMOS MOSTRAR NOSSA GARRA E FORÇA.

O SINDOJUS reafirma, em comum com as outras entidades, que a possibilidade de avançarmos no conjunto de nossas reivindicações é real e justa e que JUNTOS SOMOS MAIS FORTES! UNIDOS SOMOS IMBATÍVEIS!

 

Enfim, no dia 10 de novembro, vamos INICIAR o MOVIMENTO, precisamos conversar com o colega do lado que ainda insiste que o mundo dele é diferente, uns ainda permanecem ensimesmados, alguns “narcisistas” de sua própria luz, outros se escondem com seus próprios e falsos argumentos. Estes deveriam ter a hombridade de não querer receber os bônus da luta, pois não tem dignidade de enfrentar o ônus da luta.

VAMOS À LUTA! A GREVE É DO INTERIOR A CAPITAL, COM FORÇA E UNIÃO e diremos em bom SOM QUE NÃO ACEITAMOS SOMENTE “NÃO”, POR “NÃO”.

BENEDITO FONSÊCA

Diretor-Presidente do SINDOJUS-PB

João Pessoa, 06 de novembro de 2015.